quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Don't worry about a thing. 'Cause every little thing is gonna be allright...

Quando você tem 7 anos, a pergunta mais temida do Natal é: “Quantos anos você tem?”

Quando você tem 18 anos, a pergunta mais temida do Natal é: “E aí? Passou no vestibular?”


Quando você tem entre 25 e 30 anos, a pergunta mais temida do Natal é: “E aí? Quando é o casório?”

Isso faz parte do roteiro do Natal (escrito por algum demônio disfarçado de apóstolo ou rei mago).

Todo mundo fala mal do casamento, mas parece que namoro é pior. Quando você é muito novo, não tem idade suficiente. Quando tem idade suficiente, não pode aproveitar. Já tem que casar. As pessoas não parecem entender mais qual é o objetivo principal do namoro (mas isso é assunto para outro artigo).

Mas está tudo errado. As melhores coisas são as inesperadas e não penso diferente em relação a casamento. Eu não sou comum e meu sonho também não. Queria ser surpreendida, mas isso não vai ser possível. Sempre tem alguém pra me lembrar que passou da hora de casar.

É difícil confessar isso, mas não tenho medo do compromisso e sim da cerimônia. Odeio rituais... No mundo perfeito, eu fugiria e voltaria casada. Sem convites, sem presentes, sem bem-casados, sem vestido bufante (blergh!), sem dar satisfações, e principalmente, sem gente dando vexame. Se tivesse uma Las Vegas aqui no Brasil seria sensacional.

Nem todo mundo pensa nas consequencias do que diz. Infelizmente, depois da décima pessoa que perguntou eu percebi que essa pressão faz parte da nossa cultura. Então, parei de ficar chateada. O jeito é me conformar e esperar pra saber qual vai ser minha próxima pergunta temida do Natal... ou me preparar para manter a tradição.

2 Comentários:

Blogger Underdog disse...

Vá se acostumando. Depois do casamento, a bola da vez vai ser com os filhos. Tive de esperar pelo menos uns 7 anos, depois de casar, para ver a cobrança diminuir. Diminuir, pois até hoje ainda tenho de dar explicações do porquê eu estou casado há 16 anos e não tenho filhos.

Beijos, feliz 2008, até a volta das minhas férias.

28 dezembro, 2007 20:16  
Anonymous Filiputti disse...

Concordo com todas as suas palavras, nossa vida é cheia de regras e obrigações, principalmente nessa época do ano.

Por isso eu odeio Natal.

Break All the Fucking Rulessss!!

29 dezembro, 2007 15:27  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial